Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/version/4.0.php on line 706
Dedetização e Dedetizadora Curitiba - Insect Controle de Pragas Curitiba

Bem Vindo a INSECT - Controle de Pragas Urbanas!

Infestação do Aedes aegypti é de 3,1% em Maringá. Índice põe a cidade em alerta contra a dengue.

Infestação do Aedes aegypti é de 3,1% em Maringá. Índice põe a cidade em alerta contra a dengue.

19/11/2018

 

Nesta época do ano é ainda mais importante os cuidados com o mosquito Aedes Aegypti

 

Índice de 3,1% de infestação do mosquito da dengue põe cidade em alerta / Aldemir de Moraes - PMM

O tempo quente e chuvoso, típico dessa época do ano, mal começou e já foi suficiente para fazer saltar de 0,8% para 3,1% o índice de infestação do Aedes aegypti, o mosquito da dengue em Maringá.

O número é uma média de todos os bairros pesquisados no quarto Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes Aegypti (Lira), o que significa que em algumas localidades a situação é bem mais preocupante.

Os números foram divulgados pela Secretaria de Saúde de Maringá dia 19/11 e são o resultado das coletas feitas entre os dias 5 e 10/11. O percentual de 3,1 significa que de cada 100 imóveis visitados pela equipe de vigilância, de três a quatro tinham algum foco do mosquito transmissor da dengue. O valor está acima do considerado aceitável pela Organização Mundial da Saúde, que é de 1% no máximo.

O último Lira tinha sido feito em agosto e apresentava um índice de infestação de 0,8%, dentro do aceitável pela OMS. Os levantamentos são trimestrais. O secretário de Saúde, Jair Biatto, acredita que a chuva trouxe o aumento de focos. “Independentemente do local que moramos, trabalhamos e frequentamos, todos estamos expostos e correndo riscos. Por isso, é importante o combate de cada um contra o mosquito”, disse Biatto.

 

Casos de dengue em Maringá em 2018

Maringá registrou uma queda no número de casos registrados de dengue na comparação com o ano passado. De janeiro a novembro de 2018, foram notificados 1.046 casos suspeitos de dengue, 12 foram confirmados como positivos. Em 2017, o número foi maior que o dobro, quando 2.357 casos foram notificados e 175 confirmados.

De acordo com a secretaria de Saúde, as ações de orientação e vistoria nos lugares com maior risco serão intensificadas. A gerente de Zoonoses, disse que as equipes estão empenhadas no enfrentamento das larvas, mas que toda a população deve apoiar a causa com a limpeza dos quintais.

A dengue é uma doença que ataca o fígado e tem “parentesco” com as hepatites. Ela é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, que ao picar um doente pode infectar outras pessoas. O mosquito se reproduz em água acumulada.

 

De acordo com a secretaria de Saúde, os principais criadouros são o lixo domiciliar, barris, tinas e vasos de plantas. Também oferecem risco os pneus, depósitos fixos, caixa d′água e depósitos naturais.

 

Fonte: G1 Paraná

AMBEV
CCV
CM-PREMIUM
GRUPO PARANÁ
LEAX DO BRASIL
MAGNUS
RESIPAR
TENTIL
BANCO DO BRASIL
GRUPO POSITIVO
SALÃO MARLY
SODEXO
VOLKSWAGEN

Gostaria de falar com um de nossos consultores?

Basta enviar seus dados de contato e entraremos em contato em breve.